Download Grátis

Baixe E-books, Músicas e Programas gratuitamente e de maneira legal.

Quem Foi Davi ?

Conheça sua ocupação, sua origem e suas habilidades do homem segundo o coração de Deus.

Oração - Série de Estudos Bíblicos

Série de Estudos Bíblicos acerca da prática da oração, saiba o que é? e porque devemos orar?

Quando Deus diz Não ?

Davi. Mas, ele era um homem segundo o coração de Deus. Mas ele queria a vontade de Deus mais do que sua própria vontade.

24 de jan de 2015

Planos de Leitura da Bíblia - Download (PDF, JPG)


A bíblia o livro mais importante e impresso do mundo. A base da fé para todo cristão em Jesus, mas apesar disso ainda muitos crentes negligenciar a pratica, inclusive os lideres da igreja. 

Pesquisa realizada pelo editor e jornalista da Abba Press & Sociedade Bíblica Ibero-Americana, Oswaldo Paião, revela uma verdade inconveniente para o mundo evangélico: cerca de 50,68% dos pastores e líderes nunca leram a Bíblia Sagrada por inteira pelo menos uma vez.
Por isso vamos começar esse ano com vários planos de leituras bíblica, espero que escolha um e possa crescer na graça e conhecimento de Cristo

Leitura do Novo Testamento em 40 dias

Leitura da Bíblia em 1 ano




Uma lista especial do blog Esboçando Ideias 

1 – Quadro de leitura bíblica. Aqui temos um quadro onde você pode marcar o que for lendo. Além disso, tem algumas dicas de como você deve ler a Bíblia. Ideal para você ir acompanhando o que vai lendo.
Quadro de leitura da Bíblia – Clique aqui para abrir

2 – Plano de leitura para novos convertidos em 3 fases. Esse plano de leitura é ideal para quem ainda tem pouco tempo de conversão ou ainda não tem muito conhecimento da Bíblia. Ele traz três sequências interessantes de leitura que te fará conhecer os principais pontos da Bíblia em pouco tempo. Vale a pena fazer esse plano de leitura!
Plano de leitura bíblica para novos convertidos – Clique aqui para abrir

3 – Plano de leitura bíblica em 1 ano. Nesse plano você tem descritos quais capítulos da Bíblia precisa ler por dia para terminar a leitura em um ano. É um plano bem interessante, já que exige apenas uns 15 a 20 minutos de leitura por dia.
Plano de leitura da Bíblia em um ano – Clique aqui para abrir

4 – Plano de leitura da Bíblia em 3 meses. Esse é uma dos plano mais arrojados de leitura da Bíblia. Vai exigir cerca de 1 hora de leitura por dia. Quem quiser topar o desafio, vá em frente.
Plano de leitura da Bíblia em 3 meses – Clique aqui para abrir

5 – Plano de leitura da Bíblia para crianças. As crianças também devem ser incentivadas a ler a Palavra de Deus. Por isso compartilho um plano super legal que visa incentivar as crianças a ter um momento super divertido de leitura da Bíblia.
Plano de leitura da Bíblia para crianças – Clique aqui para abrir

6- Plano de leitura bíblica em um 1 ano em Excel. Para quem gosta de acompanhar suas leitura com gráficos e informações adicionais, esse plano é super legal.
Plano de leitura bíblica em 1 ano em Excel – Clique aqui para abrir

Boa Leitura Bíblica 



22 de jan de 2015

Lições que os jovens cristãos devem saber



Por Jefferson Sales Peixoto

1- O Mundo em que vivemos
Estamos em uma época chamada de pós-modernidade, aonde a tecnologia e a modernidade, o relativismo moral não nos permite definir o que é certo ou errado. Colson e Pearcey define como “todos os pontos de vistas, todos os estilos de vida, todas as crenças e todos os comportamentos são considerados igualmente válidos”

A palavra para mundo na bíblia significa “Kosmos” que pode significar. O Universo (Atos 17:24),A terra (João 13:1), Um sistema mundial(João 12:31) e também todos os seres humanos(Romanos 3:19).
Então em Romanos 12:1 – A bíblia ensina a não se conforma com este mundo no sentido da sua forma pensar e seu sistema caído pelo pecado.

2- A bíblia é a palavra de Deus.

Ao contrário do pensamento corrente de nossa época aonde todo tipo de normas ou regras são vistos como um inimigo. Aonde a lei de Deus é rejeitada e torna-se sua inimiga (Romanos 8:7), não existe uma vida com Deus sem a bíblia (Salmos 119.11). Somente assim conseguiremos permanecer puros (Salmos19.9).Quando observamos a palavra de Deus devemos está cientes que é o livro de Deus, a lei santa.
Você já leu sua revista favorita, já leu o seu website favorito, já leu os últimos lançamento literário, mas ainda não leu a lei santa de Deus. Você já leu a bíblia hoje? Já busco na palavra de Deus sua direção? Já observou na bíblia qual deve ser seu procedimento?

3- Oração
Quando a bíblia menciona Oração ela se dar em diversas situações, como uma forma de perdi perdão a Deus (Salmos 51.4). Como intercessão (Atos 12.5), de agradecimento e louvor ao Senhor (Lucas 9.29).

Não existe vida Cristã sem oração, um crente sem oração não tem poder de Deus, não tem intimidade com Deus. Devemos orar em todos os momentos, na igreja, em casa, em secreto, com os amigos, com a namorada, com a noiva, nas compras em todas as nossas atividades.

O que fazemos em secreto vai definir, o favor de Deus em público sobre nós Mateus 6.6. Você já orou hoje? Mas já acessou seu Facebook, seu Twitter, seu Email ou seu Instagram. Devemos começar a orar e clamar a Deus pelo seu favor e sua graça sobre as nossas vidas.

4- Os relacionamentos

Aquele velho ditado “Me diga com quem andas, que direis quem você é?” pode ser uma verdade como em (Salmos 1). Não digo que não devemos falar com outras pessoas, mas todos os seus relacionamentos são apenas com pessoas que são mundanas, e que único convite será o pecado. Amigos são importantes, (Provérbios 18.24) que podem ser torna mais chegados que irmãos. Os bons amigos servem para melhorar nossa conduta (Provérbios 27.17).

Quando entendemos isso amigos podem ser tornar grandes companheiros. Motivo não falta para ter amigos, segundo as pesquisas da BEPEC – Bureau de Pesquisa e Estatística Cristã. O Número de solteiro entre os Cristãos são o seguinte. 


  • Entre 18 e 24 Anos – 32,88% São Solteiros,
  • Entre os faixa etária de 16 a 18 são 29,14%
  • Entre os 28 a 33 é de 10,32% de jovens cristãos solteiros.


5- Sexualidade

Sexo em na igreja por muitos anos se tornou um tabu e um tema de pouca ou quase nenhuma importância nas igrejas evangélicas, no entanto, hoje parece que o único pensamento desta geração é sexo.

A bíblia não omite e não proíbe o sexo realizando dentro dos preceitos divinos, ou seja, depois do casamento. Muito tem o sexo como algo pervertido e profano que não deveria ser mencionar em nossas reuniões, porém devemos orientar a juventude que a forma mais saudável e segura de sexo é dentro do casamento. Segundo a mesma pesquisa da BEPEC realizada com 6.721 jovens solteiros no ano de 2011

Cerca de 66,13% já realizaram sexo antes do casamento, sendo que metade deles foi após a conversão e 64,58% mantiveram a relação sexual após a conversão. O tema “ficar” também foi coletado nesta pesquisa revelou que 37% dos jovens já “ficaram”. Na pesquisa entraram dados como masturbação, hábitos sexuais
entre namorados e pornografia. Sendo alguns deles com grandes percentuais.

6- Vale a pena esperar

Diante de todos os dados e informações, nós devemos ser autocríticos e rever os conceitos sobre santidade em nosso meio. Se estamos experimentando um avivamento? Mesmo diante disto devemos deixar claro que o sexo antes do casamento não possui aprovação bíblica e do próprio Deus.

O que a bíblia diz sobre isso

  • A bíblia diz que procede do Coração a prostituição - Mateus 15.19
  • A bíblia recomenda fugi da prostituição- I Coríntios 6.18
  • A bíblia recomenda que o casamento evita a prostituição - I Coríntios 7.2
  • A Prostituição é idolatria perante Deus - Colossenses 3.5
  • É a vontade de Deus - I Tessalonicenses 4.3
  • Que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. - I Coríntios 6:8
  • Prostitui-nos torna como a igreja de Tiatira - Apocalipse 2.21
  • Melhor é casar do que se abrasar - I Coríntios 7.9

O nosso Deus é misericordioso e pronto a perdoar todo aquele que se arrepende observar os mandamentos do Senhor, nos permite vive uma vida em vitória sobre o Diabo, sobre a carne e sobre o pecado. Como o próprio Jesus menciona, vá e não peques mais, nosso juventude precisa ser na presença do Senhor e em santidade. Sem a qual ninguém verá ao Senhor (Hb 12:14).


Escrevo a vocês, jovens,porque são fortes. A mensagem de Deus vive em vocês,e vocês já venceram o Maligno.1 João 2:14


Fonte: Adaptado para 2015 do texto de 2011 (Original aqui)

9 de jan de 2015

Há Progresso? - Bárbara Burns


Na história do homem, sempre houve o pensamento de que estamos melhorando, tornando-nos mais científicos, mais capazes, mais humanos no relacionamento pessoal. A idéia egoísta de que somos melhores que os nossos antepassados e de que iremos construir um mundo mais seguro para as próximas gerações é mais proeminente especialmente nas culturas mais diversificadas e mais "civilizadas". Contudo, temos de ser honestos conosco e concordar com o que a Bíblia diz sobre o homem:
 "Não há justo, nem sequer um, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer..."(Rm 3.10-12). 
Foi uma cultura bem avançada, a alemã, que exterminou 6.000.000 de judeus a sangue frio; foi um país como os Estados Unidos que teve um presidente capaz de mentir e usar táticas infantis para ganhar uma eleição (o caso Watergate); uma nação como a urss, que colocou o primeiro satélite artificial no espaço, que chegou a não admitir liberdades fundamentais, como a de religião; é um país rico como a África do Sul que não permite que o homem branco entre pelas mesmas portas das estações ferroviárias que os negros.[1] Progresso? 
Na verdade, no fundo do coração do homem, sempre existirão os mesmos pecados que até agora o acompanharam: o orgulho e a vaidade. O homem sem Deus vive nas trevas e, com toda a sua ciência e conhecimento, é capaz de sacrificar outros homens no altar do seu egoísmo. A verdade eterna e imutável é que o ser humano precisa de Deus — do Salvador, para que um real progresso possa acontecer. Cristo é a única esperança. Ele é o Salvador para todas as nações.


[1] Essas situações eram importantes na década de 70. Em nossos dias poderíamos citar outros exemplos como a Bósnia, a liberdade de aborto, o crime, a expansão do uso de drogas e o poder mafioso entre governantes de países "desenvolvidos"


Fonte:Burns, Bárbara Costumes e culturas : uma introdução à antropologia missionária / Bárbara Burns, Décio de Azevedo, Paulo Barbero F. de Carminati. 

7 de jan de 2015

Lição 01 "Deus dá Sua Lei ao Povo de Israel" - 1º Trimestre de 2015





INTRODUÇÃO

Quando Wyclif escreveu de sua Bíblia em inglês que “Esta Bíblia é para o governo do povo, pelo povo, e para o povo”, sua declaração não atraiu nenhuma atenção até onde dizia respeito sua ênfase sobre a centralidade da lei bíblica. Que a lei deveria ser a lei de Deus era mantido por todos; Wyclif afastou-se da opinião aceita ao dizer que o próprio povo deveria não somente ler e conhecer essa lei, mas também em algum sentido governar bem como ser governado por ela.

Aproximadamente entre os anos de 1440 e 1290 a.C. mais de 2 milhões de ex-escravos iniciaram uma longa jornada do Egito para a Terra Prometida…Os israelitas foram levados para a base da península do Sinai, um deserto estéril e causticante, com uma dimensão aproxima de 38.400km2. Uma multidão de pessoas acompanhadas de seus rebanhos e criações moviam-se vagarosamente, às vezes até 18km por dia. Caminhavam seguindo rastros das nascentes de água, seguindo um caminho antigo utilizado muito tempo antes por escravos egípcios que trabalhavam nas minas de bronze e pedras preciosas do sul. Três meses depois da saída do Egito, os israelitas chegaram ao Monte Sinai, uma altura de 2.400m no topo das montanhas do sul, estabelecendo um acampamento numa colina à sombra da imponente montanha. Ficaram ali por cerca de 1 ano.

Foi durante esse tempo que Deus estabeleceu sua aliança com o povo que Ele mesmo milagrosamente livrara da escravidão. Esta aliança, de acordo com os contratos da época do Oriente Médio, era uma combinação de privilégios e obrigações.
Do monte Sinai Deus entregou a aliança durante um encontro face a face com Moisés, o líder escolhido. E foi Moisés quem transmitiu a mensagem aos filhos de Israel, carregando pelas montanhas duas peças de pedra, nas quais, Deus havia escrito as leis com suas próprias mãos.
 “…e Ele deu a Moisés no Monte Sinai duas tábuas de pedra escritas com o dedo de Deus”. Êxodo 31.18.

MOISÉS, O INSTRUMENTO DE DEUS PARA A ENTREGA DA LEI.Por intermédio de Moisés, Deus deu leis à casa de Israel para substituir a lei mais elevada que eles deixaram de obedecer (Êx. 34; Êx. 34:1–2; Deut. 10:2). A lei de Moisés consistia de muitos princípios, normas, cerimônias, rituais e símbolos que tinham o fim de fazer o povo lembrar-se de seus deveres e responsabilidades. Incluía a lei moral, ética, religiosa, mandamentos e cerimônias físicas—inclusive sacrifícios (Lev. 1–7)—com a finalidade de fazer com que se lembrasse de Deus e da obrigação que tinham para com ele.
Nosso estudo sobre os Dez Mandamentos será grandemente enriquecido se primeiramente considerarmos o panorama geral da lei de Deus como apresentado nas Escrituras.

A Palavra "Lei" e os Seus Múltiplos SignificadosA palavra "lei", com frequência é usada para descrever as diferentes partes da revelação de Deus a respeito de si mesmo. Quando encontrarmos esta palavra, é necessário discernirmos seu sentido específico e o contexto no qual ela está sendo usada.
A palavra "lei" é muitas vezes utilizada para se referir ao Pentateuco ou os primeiros cinco livros de Moisés (Lucas 24:27). Moisés numa maneira única e singular recebeu e relatou a lei de Deus (João 1:17).

A LEI  E OS 10 MANDAMENTOSQuando se menciona Assêret Hadibrot, mais comumente conhecida como os Dez Mandamentos, algumas pessoas possuem uma falsa impressão de que existem Dez Mandamentos que foram separados como sendo os mais importantes da Torá. Mas na verdade a tradução correta de Assêret Hadibrot é "Dez Falas" ou "Dez Ditos", sendo que estes são dez princípios que incluem toda a Torá e seus 613 preceitos, inclusive estes dez. Assim que a LEI não se resume em apenas dez mandamentos.
A palavra "lei" é muitas vezes utilizada para designar todo o sistema cerimonial de adoração entregue à Israel. Isto incluiria o tabernáculo, sacerdócio, ofertas, dias santos e as leis de dieta alimentar do Velho Testamento (Hebreus 10:1; Hebreus 9:22).
As leis civis que Israel deveria obedecer são chamadas de “lei”. Êxodo 22- 24 nos dão um exemplo desta parte da lei.
Um certo grau de conhecimento do certo e do errado foi implantado por Deus na consciência humana (Romanos 2:14-15). Num sentido mais profundo, a lei é escrita no coração daqueles que nascem de novo (Hebreus 8:10; Romanos 7:22). 

A NATUREZA DO DECÁLOGOO decálogo está dividido em duas partes. Os primeiros quatro mandamentos tratam dos nossos deveres para com Deus (Êxodo 20:1-11). Eles são resumidos nas Escrituras pelo primeiro grande mandamento (Mateus 22:35-38). Os seis mandamentos restantes tratam dos nossos deveres para com os homens. Eles são resumidos no segundo grande mandamento. Isto prova a doutrina de Paulo em Romanos 13:8-10.
Cada um dos Dez Mandamentos somente apontam para o dever principal de uma série de deveres. Esta forma de representar o “todo” através do singular é chamada de "Sinédoque”.
Vamos tomar por exemplo a ordem “não matarás” que nos proíbe de ferir ou mesmo de desejar ferir nosso próximo de alguma maneira (I João 3:15; Mateus 5:21-22). De fato o dever oposto está também incluído e subentendido. A ordem de “não roubarás” inclui o dever de proteger a propriedade do nosso próximo de prejuízo ou perda quando está em nosso poder fazê-lo (Êxodo 23:4).
As leis de Deus proíbem aquilo que incite ou dê ocasião ao pecado (Compare Êxodo 20:14 com I Coríntios 7:1-2).

OS ANTECEDENTES BÍBLICOS DOS 10 MANDAMENTOSOs dez mandamentos são relatados duas vezes no Velho Testamento: a primeira vez no livro de Êxodo (Êxodo 20:2-17), na passagem que descreve o presente de Deus a Israel, e a Segunda vez em Deuteronômio (Deuteronômio 5:6-21), no contexto de uma cerimônia de renovação da aliança. Moisés lembra o seu povo da substância e do significado dos mandamentos, enquanto eles renovam a sua lealdade à aliança com Deus. 

O CONTEXTO DOS MANDAMENTOS E A ALIANÇA COM DEUS
Os mandamentos são inseparáveis da aliança. Deus garantiu o seu comprometimento com Israel e em retorno ele impôs certas obrigações sobre o povo israelita.
Apesar das obrigações de Israel serem expressas detalhadamente mais pra frente, a expressão mais precisa e sucinta é dada nos Dez Mandamentos. Os mandamentos listaram os princípios mais fundamentais da lei hebraica. As leis detalhadas que estão no Pentateuco, na maior parte, aplicam os princípios em situações específicas. Desta maneira, o papel dos dez mandamentos na Israel antiga era de dar direção a um relacionamento. Eles não deveriam obedecer só por obedecer ou para ganhar algum tipo de crédito, mas sim para descobrir a riqueza e a plenitude de um relacionamento com Deus. 

O CONCERTO – PACTO, ALIANÇA ENTRE DEUS E ISRAEL.Tão grande é a distância entre Deus e a criatura, que, embora as criaturas racionais lhe devam obediência como seu Criador, nunca poderiam fruir nada dele, como bem-aventurança e recompensa, senão por alguma voluntária condescendência da parte de Deus, a qual agradou-lhe expressar por meio de um pacto.
O primeiro pacto feito com o homem era um pacto de obras, também conhecido como “pacto edênico”; nesse pacto foi a vida prometida a Adão e, nele, à sua posteridade, sob a condição de perfeita e pessoal obediência.
Tendo-se o homem tornado, pela sua queda, incapaz de ter vida por meio deste pacto, o Senhor dignou-se a fazer um segundo pacto, geralmente chamado o pacto da graça ou “pacto adâmico".
 O texto do livro de Gênesis fala de dois pactos ou alianças feitos com o ser humano. O primeiro foi feito com Adão antes da queda e o segundo, feito depois da queda, onde a salvação e a vida são oferecidas a todos. Esses dois pactos estão "centralizados em torno do primeiro Adão e do segundo Adão, que é Cristo."

CONCEITO DE PACTO OU ALIANÇAO substantivo pacto significa, segundo o Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, "ajuste", "convenção" ou "contrato". Estes três substantivos são também usados para definir o significado do substantivo aliança. Diferentes versões da Bíblia em português usam os substantivos pacto, aliança, acordo e concerto para traduzir o substantivo hebraico “berith” que aparece cerca de 290 vezes no Antigo Testamento.  Para todos esses sinônimos a ideia básica que encontramos é a de união entre duas partes, um pacto ou acordo bilateral.
A diferença fundamental entre os pactos humanos e o pacto divino-humano encontra-se na motivação do soberano Criador, que se propôs a criar e sustentar a sua criação, estabelecendo assim um vínculo que, segundo a própria Escritura, só pode ser um vínculo de amor.
O conceito de pacto, portanto, é um conceito que deve ser entendido dentro dos vários contextos onde aparece. Várias nuanças do pacto são dadas através dos verbos que acompanham o substantivo.
Portanto, quando se trata do pacto divino-humano pode-se dizer que o pacto é um vínculo/elo de amor, iniciado e administrado pelo Deus triúno com a sua criação, representada pelos nossos pais.
Verificamos que nesse relacionamento, fruto dessa “aliança” ou “pacto” existe a verbalização clara da parte de Deus do que seriam as bênçãos e as possíveis maldições do pacto. Bênçãos e maldições são parte integrante dos pactos entre soberanos e vassalos no antigo Oriente Próximo.

MOISÉS E O LIVRO DA LEIApós proclamar Sua lei no monte Sinai, Deus orientou Moisés a escrever um livro contendo diversas leis civis, levíticas, sanitárias, tributárias, militares, judiciais, e etc. (Êxodo 24:1-7 cf. Deuteronômio 4:13-14, Deuteronômio 31:24-26). E este livro é identificado como: livro de Moisés, livro da Aliança, livro da Lei, livro da lei de Moisés e, lei de Moisés. Embora Moisés tenha sido o responsável por escrevê-lo, os israelitas tinham plena convicção de que todas as suas instruções eram provenientes de Deus, e isso os motivaram a chamá-lo também de: "livro da lei do Senhor" e "livro da lei de Deus".  Assim, por este meio literário, a nação israelita obtinha direcionamento tanto nas questões políticas-administrativas quanto nas questões religiosas. Nota-se ainda que o seu vasto conteúdo guiava, direta ou indiretamente, os israelitas aos princípios exigidos pela lei de Deus (Dez Mandamentos). Deste modo, eles poderiam aprender, vivenciar e ensinar os propósitos de Deus para a humanidade.

Revdº. Adaylton de Almeida Conceição – (TH.B.Th.M.Th.D.)
www.adayltonalm.spaceblog.com.brFacebook – Adayl.Manancial

A lição da CPAD para o primeiro trimestre de 2015 é uma lição que dispensa comentários. Primeiro por tratar de um tema quase que inédito e em segundo lugar pelo nível da pessoa que faz os comentários. Se trata do Reverendo Dr. Esequias Soares, da cidade de Jundiaí-SP. Ao ser galardoado com sua amizade, tenho podido ao seu lado, aprender, além das profundidades bíblicas, uma lição de verdadeira humildade. Um verdadeiro cientista da Bíblia, conhecedor das línguas originais e um verdadeiro amante das verdades eternas. A clareza de seus escritos, a profundidade traduzida de forma simples e colocado ao alcance de todos faz com que os estudantes da lição deste trimestre se sintam privilegiados em ter em suas mãos um conteúdo tão claro, esclarecedor e de fácil compreensão. Assim que, para nós que resumimos o conteúdo dos estudos, só temos que nos juntar aos demais leitores e desfrutar de tão preciosa lição.

BIBLIOGRAFIA.1- Adaylton de Almeida Conceição – Introducción a  las  Dispensaciones – STEM – Buenos Aires - Argentina.2- Alexander Roberts e James Donaldson, eds., Nicene and Post-Nicene Fathers, First Series: Volume II, (Oak Harbor, WA: Logos Research Systems, Inc.) 1997.3- Charles MacCoy e J. Wayne Baker, Fountainhed of Federalism: Heinrich Bullinger and the Covenantal Tradition (Louisville: Westminster/Jonh Knox, 1991), 99-138.4- Paul Helm, "Calvin and the Covenant: Unity and Continuity," The Evangelical Quarterly  (1983), 65-81, 67.  5- Ron Crisp – Introdução aos 10 Mandamentos6- R. J. Rushdoony – A importância da Lei

Fonte: http://www.pointrhema.com.br/2014/12/deus-da-sua-lei-ao-povo-de-israel-ebd.html

5 de jan de 2015

Lições Bíblicas - Os Dez Mandamentos - Os Valores Divinos para uma Sociedade e Constante Mudança - 1º trimestre de 2015



A Lei de Deus – Valores imutáveis para uma sociedade em constante mudança

Comentarista: Pastor Esequias Soares

Temas Semanais:

Lição 1 – Deus dá a sua Lei ao Povo de Israel
Lição 2 – O Padrão da Lei Moral
Lição 3 – Não Terás outros deuses
Lição 4 – Não farás imagens de Esculturas
Lição 5 – Não Tomarás o Nome do Senhor Deus em Vão
Lição 6 – Santificarás o Sábado
Lição 7 – Honrarás Pai e Mãe
Lição 8 – Não Matarás
Lição 9 – Não adulterarás
Lição 10 – Não furtarás
Lição 11 – Não darás Falso Testemunho
Lição 12 – Não cobiçarás
Lição 13 – A Igreja e a Lei de Deus



Comentário Pastor Esequias Soares

Os Dez Mandamentos - Esequias Soares

22 de dez de 2014

Fazei da mesma maneira - Bom samaritano


Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão;E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre o seu animal, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele;E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar. 
Lucas 10:33-35
Vivemos em uma época de indiferença com o nosso próximo, vemos as noticias e os problemas da humanidade como uma normalidade, sabemos dos problemas de nosso bairro e nada fazemos, os braços cruzados e os olhos insensível.

Nós como igreja do Senhor Jesus somos chamados a ser a voz dos que não tem voz, dos necessitados e daquele que necessitam de salvação e alivio para sua vida.

A parábola do bom samaritano nos ensinar sobre o amor de Deus e revelado pelo amor ao próximo 

Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? 1 João 4:20

Precisamos de uma igreja com compaixão, e que se preocupe com os problemas da humanidade e obedecer a ordem de Cristo ao doutor da lei:

Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira. Lucas 10:37

Por Jefferson Sales Peixoto

12 de ago de 2014

Stanley M. Horton (1916-2014): um gigante da erudição pentecostal


Por Gutierres Fernandes Siqueira

Nesse sábado, 12 de julho, o teólogo pentecostal Stanley Monroe Horton morreu aos 98 anos na cidade de Springfield, Missouri (EUA), que é a sede das Assembleias de Deus nos Estados Unidos. Há algum tempo o Rev. Horton vinha com a saúde frágil e era cuidado pela filha.

Stanley M. Horton nasceu em 6 de maio de 1916 em Huntington Park, Califórnia (EUA). Era filho de Harry e Myre Horton, respectivamente evangelista e filha de pastor. Os avós maternos Elmer Kirk Fisher e Clara Daisy Sanford participaram diretamente do histórico Avivamento da Rua Azuza em 1906. George O. Wood, superintendente geral do Concílio das Assembleias de Deus dos Estados Unidos, resumiu Horton como uma “ponte que ligava o avivamento de Azuza até os dias atuais”.

Rev. Horton recebeu sua formação educacional em grandes centros universitários americanos como Berkeley e Harvard. Na ordem: Los Angeles City College (A.A., 1935); Universidade da Califórnia-Berkeley (B.S., 1937); Gordon-Conwell Theological Seminary (M.div, 1944); Universidade de Harvard (S.T.M., 1945); e Central Baptist Theological Seminary (th.d.,1959). E ainda fez estudos complementares no New York Theological Seminary. Era professor emérito de teologia no Assemblies of God Theological onde começou a ensinar em 1978 [1]. Embora o pentecostalismo tenha contado com eruditos como os ingleses Myer Pearlman e Donald Gee, Horton foi um dos primeiros com vasto currículo acadêmico. Infelizmente, especialmente no pentecostalismo brasileiro, a carreira acadêmica entre pentecostais é ainda rara. Felizmente, nos Estados Unidos a realidade já é bem diferente, pois alguns pentecostais são respeitados fora do círculo carismático como os exegetas Gordon D. Fee e Craig S. Keener, sendo o primeiro um pastor ordenado pelas Assembleias de Deus.

Rev. Horton relatou que nem sempre a trajetória intelectual foi fácil. Quando estudava ciências ficou profundamente em dúvidas sobre Deus e as Escrituras. Então orou: “Senhor, eu sou um salvo, mas não sei o que fazer quanto a essas dúvidas” [2]. Deus o fez lembrar da cura de seu avô quando ele tinha apenas cinco anos. Trazer a memória o poder de Deus o fez voltar à fé fortalecida. Além disso, como todo pentecostal que se esforça pelo ensino, Horton enfrentou oposição dentro da Igreja por causa do remanesceste anti-intelectual, especialmente quando era um jovem estudante no Gordon-Conwell Theological Seminary.

Ele foi comentarista durante 25 anos da equivalente às Lições Bíblicas para a Escola Dominical nas Assembleias de Deus norte-americana. Foi autor, colaborador e editor de inúmeras obras como: Systematic Theology a Pentecostal Perspective, 1994  [Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal, 1995, CPAD];  What the Bible Says About the Holy Spirit, 1976 [O Que a Bíblia Diz Sobre o Espírito Santo, 1993, CPAD] e reeditada como A Doutrina do Espírito Santo no Antigo e Novo Testamento; Bible Doctrines: A Pentecostal Perspective (com William Menzies), 1993 [Doutrinas Bíblicas: Uma Perspectiva Pentecostal, 1995, CPAD] ; They Spoke from God: A Survey of the Old Testament (com Willian Williams); Isaiah: A Logion Press Commentary [Isaías: O Profeta Messiânico, 2002, CPAD]; The Book of Acts : The Wind of the Spirit [O Livro de Atos, 1993,  Editora Vida];  Tongues and Prophecy: How to Know; When a Gift of Utterance is in Order;  Perspectives On Spirit Baptism: Five Views (com Ralph Del Colle, Walter Kaiser,  H. Ray Dunning e Larry Hart); A Commentary on I and II Corinthians [I & II Coríntios, 2003, CPAD]; The Ultimate Victory: An Exposition of the Book of Revelation [Comentário Bíblico- Apocalipse, CPAD]; Into All Truth: A Survey of the Course and Content of Divine Revelation; Five Views on Sanctification (Counterpoints: Bible and Theology) com Melvin E. Dieter, Anthony A. Hoekema, e J. Robertson McQuilkin [Cinco Perspectivas Sobre a Santificação, 2006, Editora Vida]; The Shifting Romance with Israel (com Ray Gannon) e a coletânea de artigos reunidos em um livro O Avivamento Pentecostal, 1997, CPAD. Ou seja, ainda há algumas obras para serem traduzidas e reeditas pelas editoras brasileiras.

Rev. Horton visitou o Brasil em 1995 à convite da CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) [3]. Pregou em inúmeras igrejas e manifestou grata surpresa pela lotação da Igreja em Recife em um dia útil de segunda-feira [4].

Stanley M. Horton deixará um legado de erudição e paixão pentecostal. Foi o exemplo vivo que não existe nenhuma oposição entre ser apaixonado pela ação do Espírito Santo na vida da Igreja com a erudição profunda e pesada dos grandes centros universitários. Ele mesmo que prefaciou a edição inglesa do livro de Rick M. Nañez era um “pentecostal de coração e mente”. Horton relatou:

Descobri que o estudo aprofundado da Bíblia, das línguas bíblicas, da arqueologia, psicologia, filosofia, de outras religiões e da história da igreja aperfeiçoaram minha apreciação pela verdade da Palavra Santa de Deus, além de me ajudar a perceber minha dependência do Espírito Santo como guia. Tudo que escrevi é fruto do estudo da Palavra de Deus e de oração. [5]

Que seja um exemplo para nós!




Referências Bibliográficas:

[1] BURGESS, Stanley M. [ed]. The New International Dictionary of Pentecostal and Charismatic Movements. 1 ed. Grand Rapids: Zondervan, 2002. p 772 (pos 32083).

[2] HORTON, Stanley M. O Avivamento Pentecostal. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1997. p 26.

[3] ARAÚJO, Isael de. Dicionário do Movimento Pentecostal. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. p 354.

[4] HORTON, Stanley M. O Avivamento Pentecostal. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1997. p 35.

[5] NAÑEZ, Rick M. Pentecostal de Coração e Mente. 1 ed. São Paulo: Editora Vida, 2007. p 11.

9 de jan de 2014

Histórias falsas na internet - Hoax Gospel


Por Jarbas Aragao 
Os evangélicos em muitos lugares do Brasil são chamados de crentes, mas isso não significa que creem em tudo que leem. Infelizmente, devido ao grande número de notícias bizarras e vergonhosas envolvendo pastores e igrejas, as pessoas já se acostumaram a ver esse tipo de coisa.
De tempos em tempos surgem matérias falsas, que são reproduzidas em sites e blogs, alguns deles até de conteúdo evangélico. Infelizmente, a maioria dos donos dessas páginas não se dá ao trabalho de investigar se a notícia procede, qual a fonte, etc.
Em tempos como os nossos, onde as redes sociais e o e-mail acabam divulgando ideias a uma velocidade impressionante, não é difícil verificar o grande número de bobagens que são repassadas toso os dias como se fossem autênticas. Sejam textos e frases atribuídos a autores que não os escreveram, sejam imagens tão bem manipuladas que parecem verdadeiras, sejam vídeos com os mais variados devaneios, tudo é “consumido e digerido” pela sociedade.
Mas quando essas falsas notícias usam o nome de pastores e/ou igrejas, podem causar muito constrangimento. Pior ainda quando são repassadas pelos próprios evangélicos.
A mais recente a repercutir na internet brasileira é sobre um pastor africano chamado Franck Kabele, líder de uma Igreja em Libreville, capital do Gabão.  Ele teria recebido uma revelação que, se os fiéis tivessem fé o suficiente, seriam capazes de andar sobre as águas como Jesus. Ao tentar repetir o milagre bíblico, morreu afogado. As fontes indicadas são uma revista chamada Celebrity e um jornal de nome Glasgow Daily Record.
Uma pesquisa no site do jornal indica que tal matéria nunca foi publicada. O mesmo vale para a Celebrity, que como o nome indica, só apresenta fofocas de celebridades europeias, sem espaço para notícias de pessoas desconhecidas.
Em uma rápida pesquisa na internet, o Gospel Prime encontrou essa mesma notícia com data de 30 de agosto de 2006, vinda de uma única fonte. O fato de ser de um site dos EUA e não do Gabão é um sinal de alerta. Todas as demais matérias são cópias, algumas mudam um detalhe ou outro.
Embora possa parecer divertido para os ateus reproduzirem esse tipo de notícia e aproveitar para ridicularizar os evangélicos, o blog Friendly Athesist está pedindo que eles parem de fazer isso. E por dois motivos: primeiramente, por que é um hoax (notícia falsa) e depois por que “não pega bem” os ateus espalharem uma mentira sob pena de perderem a credibilidade.
Porém, não é essa a única notícia falsa deste início de ano. Também circula a notícia de que um chip subcutâneo seria inserido em todas as crianças nascidas na Europa a partir de maio de 2014.
O procedimento seria feito pelos hospitais no momento do nascimento. O microchip registraria nome, tipo sanguíneo, data de nascimento e emitiria um sinal de GPS para localização. Ele teria uma microbateria que seria trocada a cada 2 anos nos hospitais.
Um suposto Comitê Consultivo para o Controle da População ofereceria o implante gratuito para todos os adultos interessados gratuitamente. A justificativa seria por motivos de saúde, pois poderia monitorar o paciente e também de segurança, pois impediria desaparecimento ou sequestro. A fonte original apontada é um desconhecido site italiano.
É sabido que a tecnologia existe e que chips assim já estão disponíveis para os donos de cães e gatos que queiram monitorar o animalzinho. Uma proposta de implantação de chips por questões médicas foi debatida nos Estados Unidos, que chegou a ter um experimento com um grupo reduzido de soldados do exército. Sempre há muita polêmica sobre o assunto justamente por que remete às profecias de Apocalipse sobre a “marca da besta”.
Contudo, a questão que se apresenta é como algo obrigatório para os países europeus entraria em vigor daqui a quatro meses e nenhum órgão de imprensa está debatendo o assunto? Não há nada nos sites dos principais jornais e TVs da Europa. Desde a unificação do continente existe o Parlamento Europeu que debate uma série de assuntos referentes aos países-membros. Uma decisão dessa importância certamente teria de passar por uma aprovação deles em algum momento.
Quem conhece as profecias sabe que a vinda da marca da besta é inevitável, mas não há certeza de como ela será. Poderá sim, ser um chip, mas é altamente improvável que a decisão de marcar todas as crianças do continente nascidas este ano seria anunciada por um site obscuro.
Levando tudo isso em conta, a questão que se apresenta é simples. Podemos acreditar (e compartilhar) tudo que lemos hoje em dia? Claro que não. Ao se deparar com esse tipo de situação restam dois caminhos:
Uma rápida observação se há indícios da fonte original. Se não houver, desconfie. Depois, uma breve pesquisa numa ferramenta de busca deve ajudar a esclarecer os fatos.
A segunda opção, e que parece ser mais comum, é simplesmente ajudar a espalhar, sem se preocupar se é ou não verdade e se está (ou não) ferindo a imagem de alguém, seja de uma pessoa ou dos evangélicos em geral.
O portal Gospel Prime tem um compromisso com a verdade, por isso não publicamos nenhuma matéria sem nos certificarmos antes. Mesmo assim, muitas vezes recebemos “dicas” de leitores para esse tipo de hoax.
Não estamos isentos de falharmos, mas como cristãos acreditamos que não devemos perpetuar uma mentira. Não importa o quão “engraçada” ou “insignificante” ela possa parecer. Afinal de contas “dar falso testemunho”, além de estar previsto no artigo 342 do Código Penal também é proibido por um dos 10 mandamentos.
Nota do Blog Vale a pena verificar as fontes e também e verificar os fatos para não transmitir informações falsas 
Fonte; GospelPrime

30 de dez de 2013

Carta de John Wesley a um pregador preguiçoso



CORK, 17 de agosto de 1760.


Meu caro irmão,
A conversa que tivemos ontem à tarde deu-me muita satisfação. Quanto a alguns boatos que ouvi, (em relação a dissipar os seus haveres e ser perdulário, beber imoderadamente e comportar-se indevidamente para com os pobres habitantes de Silberton), estou convencido de que são equívocos; o que eu suponho é que conversa muito com pessoas descuidadas e insensíveis. E espero que tenha cada vez mais cuidado em relação a todos estes fatos, abstendo-se da própria aparência do mal.

Que nem sempre se aplicou à pregação quando poderia ter feito, você mesmo admitiu, mas parecia determinado a remover esta objeção, assim como a outra, de usar exercícios ou divertimentos que causavam ofensa aos seus irmãos. Creio que igualmente se esforçará para evitar conversas frívolas e levianas, e a falar e se comportar na frente de todos com aquela seriedade e oficiosidade que convém a um pregador do Evangelho.

Claramente, alguns anos atrás, você estava vivo para Deus. Você experimentou a vida e o poder da religião. Não será que Deus pretende que as provações às quais se sujeitou não o trouxessem de volta a isto? Você não pode ficar parado; você sabe que isto é impossível. Você deve avançar ou retroceder. Ou deve recuperar esse poder, e ser um cristão completo, ou em pouco tempo não terá nem poder nem aparência, dentro ou fora.

Radicalmente contrário a ambos é essa capacidade de ridicularizar os outros, torná-los insignificantes, por expor suas reais ou supostas fraquezas. Isto eu seriamente aconselho você a evitar. Prejudica você, prejudica os ouvintes, e enormemente prejudica aqueles que são assim expostos, e tende a torná-los seus inimigos irreconciliáveis. Algumas vezes também tem sido traído por falar o que não era exatamente verdadeiro. Ó, acautele-se disto acima de tudo! Nunca aumente, nunca exagere alguma coisa. Seja inflexível no apego à verdade. Seja exemplar nesse ponto. O que quer que tenha sido no passado, que todos saibam agora que John Trembath abomina a mentira, que ele nunca promete algo que não cumpre, que sua palavra equivale a um compromisso. Peço que seja diligente nisto. Seja exemplo de verdade, sinceridade e simplicidade religiosa.
O que tem lhe prejudicado excessivamente nos últimos tempos e, temo que seja o mesmo atualmente, é a carência de leitura. Eu raramente conheci um pregador que lesse tão pouco. E talvez por negligenciar a leitura, você tenha perdido o gosto por ela. Por esta razão, o seu talento na pregação não se desenvolve. Você é apenas o mesmo de há sete anos. É vigoroso, mas não é profundo; há pouca variedade; não há seqüência de argumentos. Só a leitura pode suprir esta deficiência, juntamente com a meditação e a oração diária. Você engana a si mesmo, omitindo isso. Você nunca poderá ser um pregador fecundo nem mesmo um crente completo. Vamos, comece! Estabeleça um horário para exercícios pessoais. Poderá adquirir o gosto que não tem; o que no início é tedioso, será agradável, posteriormente. Quer goste ou não, leia e ore diariamente. É para sua vida; não há outro caminho; caso contrário, você será, sempre, um frívolo, medíocre e superficial pregador. Faça justiça à sua própria alma; dê-lhe tempo e meios para crescer. Não passe mais fome. Carregue a sua cruz e seja um cristão no verdadeiro sentido da palavra. E então, todos os filhos de Deus se regozijarão (e não se afligirão) consigo; e, particularmente,
Atenciosamente, etc.
John Wesley

27 de nov de 2013

10 Coisas que os mórmons não falam


Hoje em dia o numero de missionários de tempo completo enviado pela igreja mórmon somam dezenas de milhares. A maioria são jovens na sua adolescência tardia o no inicio dos seus vinte anos, mas a igreja dos mórmons também tem em suas fileiras mulheres jovens e pessoas aposentadas. Os missionarias são fáceis de identificar por suas camisas brancas, seus crachás negros e suas bicicletas. Em alguns lugares onde não possível mover de bicicletas, eles andam.

Nas páginas de um manual de instruções missionárias, contém a meta de um missionário mórmon muito clara "Sua meta é ajudar os investigadores (Pessoas interessadas na igreja mórmon) a converte-se pelo Espirito e ser batizado no reino de Deus(Igreja Mórmon)" (Instruções para discussões, 1986). 

Utilizando uma apresentação sutil e semi-memorizada, os missionária tratam de converse que tua igreja está equivocada. Enquanto eles tentam expor as virtudes de sua igreja. Existem muitos ponto que não estão muito disposto a falar.

As seguintes citações podem ser encontradas em publicações mórmons autenticas. Convidamos os nossos leitores a verificar as nossas fontes para seguração do contexto.

1. Eles são relutantes em dizer que o Deus que eles adoram nem sempre foi Deus.
"Temos imaginado e suposto que Deus era Deus desde toda a eternidade. Rejeito essa ideia, e tirarei o véu, para que você possa ver.(Teachings of the Prophet Joseph Smith, pg.345).

2Eles são relutantes em dizer que eles creem que Jesus Cristo é um espirito irmão de Satanás

"A nomeação de Jesus para ser Salvador do mundo foi contestada por um dos outros filhos de Deus. Ele foi chamado de Lúcifer, filho da manhã. Orgulhoso, ambicioso e avarento de poder e glória, este espírito-irmão de Jesus tentou desesperadamente para se tornar o "Salvador da humanidade." (Milton R. Hunter, Gospel Through the Ages , 15 pg.).

3. Eles são relutantes em dizer que de acordo com o mormonismo, Jesus Cristo era polígamo.
Acho que alguns dos artigos orientais me representam como um grande blasfemo, porque eu disse na minha palestra sobre casamento, em nossa última conferência, que Jesus Cristo foi casado em Caná da Galiléia, que Maria, Marta e outros eram suas esposas, e ela concebeu filhos. " (Orson Hyde, Journal of Discourses 2:210)
"A grande razão para a explosão do sentimento público a considerar anátema para Cristo e seus discípulos, fazendo com que a sua crucificação, foi evidentemente baseado na poligamia, de acordo com o testemunho dos filósofos que se levantaram na época. Uma crença na doutrina da pluralidade de esposas causou a perseguição de Jesus e seus seguidores. quase poderia pensar que eles eram "mórmons" (Jedediah M. Grant, Journal of Discourses 1:346).

4.Eles são relutantes em dizer que pelo menos durante meio século, os líderes da igreja ensinou que Adão foi realmente Deus e o único Deus com quem temos que ver.

"Ouvi agora, ó habitantes da terra, judeus e gentios, santos e pecadores! Quando nosso pai Adão entrou no jardim do Éden, e veio com um corpo celestial, e trouxe Eva, uma de suas esposas, com ele. O ajudou a fazer e organizar este mundo. Ele é Miguel, o Arcanjo, o Ancião dos Dias, de quem santos homens têm escrito e falado -. Ele é nosso Pai e nosso Deus, e o único Deus com quem temos que ver " (Brigham Young, Journal of Discourses 1:50).

5.Eles vão estar relutantes em dizer que Brigham Young, que dirigia o escritório do presidente da Igreja Mórmon mais tempo do que qualquer outro homem, pensou homens devem praticar a poligamia para se tornar deuses.

"Os únicos homens que se tornam deuses são aqueles que entram em poligamia" (Journal of Discourses 11:269)

6. Eles vão estar relutantes em dizer que o Livro de Mórmon não tem qualquer doutrina Mórmon. Muitas partes desta escritura Mórmon contradiz ainda mais a teologia mórmon.
7. Eles serão relutantes em falar sobre suas cerimônias secretas do templo, que até abril de 1990, descreveram os ministros cristãos como mercenários de Satanás.
Nem vou falar sobre a roupa interior sagrado que estão vestindo o que, acreditam eles, protege atualmente.
8. Eles vão estar relutantes em dizer que os líderes mórmons ter pensado que Jesus foi concebido por uma relação sexual entre Deus e Maria.
".. Como eles são concebidos crianças? Eu respondo como Jesus Cristo foi concebido por seu pai A diferença entre Jesus Cristo e os outros homens é esta:. Nossos pais na carne são homens mortais, que estão sujeitos a morrer, mas o Pai de Jesus Cristo na carne é o Deus dos céus "(Joseph F. Smith, Family Home Evening Manual 1972, pg.125)
"Cristo foi concebido por um Pai imortal da mesma forma que os homens mortais são concebidos por pais mortais." (Bruce McConkie, Mormon Doctrine , pg.547)
9. Eles vão estar relutantes em dizer que eles acreditam que a Bíblia foi corrompida pelos séculos e não pode ser completamente confiável por si só.
"Eu acredito na Bíblia vieram das penas dos escritores originais. Tradutores ignorantes, transcritores descuidados e sacerdotes corruptos cometeram muitos erros "( Teaching of the Prophet Joseph Smith , pg. 327).
"Mas a Bíblia foi roubada de sua veracidade, muitos textos sagrados foram perdidos, outros foram rejeitados pela Igreja Romana, e os poucos que ficaram, foram copiados e recopiado muitas vezes, esto há admitiu, que quase todos os versos foi corrompido e mutilado na medida em que quaisquer dois deles se ler iguais ". (Orson Pratt, The Seer , pg.213).
10. Eles vão estar relutantes em dizer que o livro os mórmons e das Doutrinas e Convênios, Que proclamam serem ambos sagrados e sem erros, se contradizem e um ao outro muitas vezes.
Em verdade, assim diz o Senhor a ti, meu servo Joseph, já que te dirigiste a mim para saber e compreender como eu, o Senhor, justifiquei meus servos Abraão, Isaque e Jacó; assim como Moisés, Davi e Salomão, meus servos, no que diz respeito ao princípio e doutrina de terem muitas esposas e concubinas " 
Por Bill McKeever
Adaptado da Fonte Original em Espanhol traduzido pela Dra Luris González em  Mormonism Research Ministry


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Artigos Recentes